Sunday, July 09, 2006

Itália enterra o trauma dos pênaltis e chega ao tetracampeonato mundial (Itália 1(5)x1(3) França)

Após 63 partidas, 5 prorrogações, 145 gols, 3 disputas de pênaltis e tempo regulamentar total de 5820 minutos ou 97 horas de futebol, as seleções nacionais da Itália e da França fizeram a última das partidas da Copa do Mundo 2006.

Logo no primeiro minuto de partida, o atacante Henry se choca com o zagueiro italiano Cannavaro e sai de campo desacordado e de maca. Mas tudo não passou de um susto e o artilheiro gaulês logo estava de volta ao jogo, apitado pelo argentino Horacio Elizondo (o mesmo da partida de abertura entre Alemanha e Costa Rica). Elizondo teve trabalho logo cedo, mostrando cartão amarelo para o italiano Zambrotta depois de uma falta duríssima em Vieira.

Logo depois, o zagueiro Materazzi fez um pênalti infantil no francês Malouda. A exemplo da semifinal contra Portugal, o craque Zidane encarregou-se da cobrança: Sem tomar distância, percebeu que o goleiro adversário Buffon caía para o lado esquerdo (onde “Zizou” cobrou na semifinal) e rapidamente mudou de idéia, cobrando alto no lado oposto.

A bola bateu no travessão e bateu no chão, dentro do gol, numa distância que poderia ser percorrida por uma régua escolar. A Itália tomava seu segundo gol na Copa, saía em desvantagem na partida decisiva e o cronômetro marcava pouco mais de cinco minutos.

Sem se assustar, os italianos chegaram ao empate antes dos vinte minutos, num escanteio cobrado por Pirlo na direita que Materazzi subiu mais do que seu marcador Vieira e mandou de cabeça, empatando o jogo e se redimindo do pênalti esdrúxulo que fizera minutos antes.

O ritmo alucinado do jogo deu então uma pausa e as equipes passaram a se estudar, aguardando o erro alheio e alguma bola parada. Ainda assim, houve uma boa troca de passes entre os italianos Totti, Pirlo e Luca Toni, que teve seu chute bloqueado pelo zagueiro francês Thuram.

Três minutos depois, aos 38 minutos, quase um replay da jogada do gol italiano, com Pirlo cobrando da mesma forma o escanteio pela direita e Luca Toni cabeceando da mesma forma que Materazzi. Só que a bola tinha resolveu improvisar e chocou-se com o travessão. Foi o ultimo lance de perigo da etapa inicial.

Antes que se completasse o primeiro minuto do segundo tempo, Henry abriu caminho entre os adversários italianos para ficar de frente com o goleiro Buffon e chutar fraco.

Aos 4, Henry escapa de Camoranesi, tromba com Grosso, dribla Materazzi e tenta cruzar para Malouda, encontrando Zambrotta pela frente. Dois minutos depois, lá está Henry novamente na área italiana, mas não encontra espaço para o chute.

Um minuto depois, Ribery avança pela direita, toca no meio para Zidane, que encontra Malouda na área. O italiano Zambrotta dá combate, o francês cai e o árbitro italiano Horacio Elizondo não marca pênalti.

O ataque francês não dá trégua e aos nove minutos, Malouda avança pela esquerda e cruza na área tentando Ribery, que estava muito à frente.

Quando Henry recebeu a bola na frente de Cannavaro, abriu espaço e chutou para a defesa de Buffon, parecia que o segundo gol da França seria apenas uma questão de tempo.

A Itália, por sua vez, só deu seu primeiro chute aos 32 minutos, numa falta que Pirlo cobrou para fora.

Aos 34 minutos, o camisa 10 francês Zidane quase sai mais cedo de sua última partida como profissional ao deslocar o ombro numa disputa de bola com Cannavaro.

Mas ele voltou a campo para ver Makelele chutar por cima a ultima chance de desempate no tempo normal de partida.

Mais de 98 horas e meia de futebol não foram suficientes para o mundo conhecer o novo campeão mundial. Pela quinta vez na história, a decisão de uma Copa do Mundo precisava de uma prorrogação.

E aos quatro minutos, o abusado Malouda passou a bola por entre as pernas do capitão italiano Cannavaro. Aos nove, Ribery teve uma grande chance num chute rasteiro que passou ao lado da trave esquerda de Buffon. Ribery, exausto, foi substituído por Trezeguet logo em seguida, e Buffon fez uma defesa sensacional numa cabeçada de Zidane quatro minutos depois.

Veio o segundo tempo da prorrogação, com ambas as equipes esgotadas no aspecto físico. No psicológico, Zidane apresentou um desgaste um pouco maior do que os outros 21 em campo e acertou uma cabeçada inexplicável em Materazzi aos cinco minutos, sendo, com toda a justiça, expulso da partida.

Logo ele, que fazia sua última partida profissional e estava a dez minutos e uma inevitável disputa de pênaltis de se despedir do futebol como bicampeão mundial e craque da Copa.

Então, após 64 jogos, 6 prorrogações e 99 horas regulamentares de futebol (somados aos descontos, a marca passa com sobras das cem horas), foi necessário uma disputa de pênaltis (a quarta da Copa 2006) para saber se a França chegaria ao bicampeonato ou a Itália ao tetra.

A Itália nunca havia vencido uma disputa de pênaltis numa Copa do Mundo e a Franca nunca havia perdido uma decisão de título importante no futebol.

Pirlo, gol. Wiltord, gol. Materazzi, gol.

O placar marcava 2 a 1 e Trezeguet, autor do gol do título na Eurocopa 2000 sobre a mesma Itália, correu para sua cobrança. A bola foi no travessão, a exemplo da de Zidane no tempo normal. Mas caiu fora do gol e pôs a Itália em vantagem.

Os italianos De Rossi e Del Piero converteram suas cobranças. Abidal e Sagnol, pelo lado francês, não deixaram por menos.

Depois de cavar um pênalti que deu a classificação ao seu time para as quartas-de-final nos descontos da partida e fazer o primeiro gol da vitória sobre os anfitriões no antepenúltimo minuto da prorrogação, o que era uma cobrança de pênalti para Fabio Grosso? A chance de dar o quarto título mundial à seleção italiana de futebol.

Que em 2010 pode chegar ao penta, a exemplo do Brasil.

6 Comments:

At Monday, 10 July, 2006, Anonymous cid said...

Em 2010 cobrarei pelo mesmo blog!= ]

 
At Monday, 10 July, 2006, Anonymous jarmeson said...

Maurício, faça agora um pós-fácio com sua avaliação geral da Copa, imprima e mande publicar esse negócio! hehehe

 
At Monday, 10 July, 2006, Blogger Maurício Targino said...

Fiquem frios, rapazes!

 
At Monday, 10 July, 2006, Anonymous Ruy Paulo said...

se zidane fosse corno teria perfurado o materazzi

 
At Tuesday, 11 July, 2006, Anonymous Anonymous said...

JORNAL ITALIANO DIVULGA A VERDADEIRA DISCURSSÂO ENTRE MATERAZZI E ZIDANI:

M- Ei seu filho da puta ! é vc mesmo ! sua irmã é uma puta, safada e dá pra todo mundo !
Z- ( Se vira e sai andandando... )

M- Tô sabendo que tua mãe é meretriz mais barata de Paris ! Seu corno safado ! Seu Merda ! Você é um bundão !
Z- ( Continua andando... )

M- Falei com seu empresário ontme... ele me disse que você ia jogar no santa cruz !
Z- AH é ! ( Aí veio a cabeçada )

 
At Tuesday, 11 July, 2006, Anonymous Anonymous said...

Aproveitem pra jogar o joguinho do zidane:
http://www.zappa.cc/zidane/

 

Post a Comment

<< Home