Saturday, July 01, 2006

Felipão e Portugal empatam pela primeira vez na história das Copas... mas se classificam nos pênaltis (Inglaterra 0(1) x 0(3) Portugal)

Em mais uma partida dramática, a Copa do Mundo 2006 conheceu seu terceiro semifinalista. Se pelo lado técnico, Inglaterra e Portugal deixaram a desejar (não somente neste jogo, mas em toda a Copa), não economizaram em disposição e, claro, dramaticidade.

Logo no início, Ashley Cole jogou uma bola por entre as pernas do craque português Luis Figo, que logo respondeu-lhe com seu velho e manjado drible da vaca, que ele sempre esquece que só dá certo contra Angola ou outro adversário do tipo.

A defesa portuguesa também parece ter esquecido que a partida tinha começado e deixou Rooney com chance de invadir a área com a bola dominada. Mas o atacante inglês também não tinha acordado para o jogo.

Aos oito, Rooney recebe na entrada da área, vira e chuta forte para a boa defesa de Ricardo. Em seguida, seu colega de Manchester United Cristiano Ronaldo chuta também de fora da área, mas o goleiro Robinson não precisa defender.

Figo, pelo lado português, e Lampard pelo inglês, fazem bons cruzamentos respectivamente aos 12 e 16 que igualmente não são aproveitados pelos companheiros. Aos 19, Figo ainda faz um bom passe para Cristiano Ronaldo limpar Neville duas vezes e mandar por cima.

O zagueiro Terry manda o fair play para o espaço aos 28 minutos, acertando uma cotovelada em Tiago e simulando ter se machucado também. Amarelo nele.

Fazendo boa partida, Figo dribla Lampard aos 38 e tenta o ângulo oposto de Robinson, mas a bola vai para fora. Lampard ainda tentaria de fora da área nos descontos, mas Ricardo defendeu e o placar da primeira etapa permaneceu do jeito que começou.

Logo aos 5 minutos do segundo tempo, a Inglaterra reclama pênalti após a tentativa de bola cruzada de Beckham que involuntariamente toca na mão de Nuno Valente. Inútil reclamação.

Dois minutos depois, o capitão inglês é substituído por Aaron Lennon. Minutos depois, a transmissão o mostra chorando com uma bolsa de gelo sobre a perna. O que sepode dizer de um capitão de seleção que vomita em campo numa oitava-de-final e sai chorando na partida seguinte? Noel Gallagher, guitarrista da banda Oasis, estava mesmo coberto de razão ao afirmar que a Inglaterra é um time de meninos gays, seja lá o que ele queira dizer com isso.

Seis minutos depois de entrar em campo, Lennon invade a área adversária, se livra dos zagueiros e ajeita para Rooney furar feio. Na sobra, Lampard manda por cima.

Dois minutos depois de maltratar feio a bola, Rooney resolve maltratar o fair play. Numa disputa de bola no meio-campo, o inglês sofre uma falta não marcada, mas continua brigando pela bola. Segura a perna de Tiago, que cai e recebe um pisao nas partes baixas. Jogo parado, e Cristiano Ronaldo pede ao juiz que dê cartão a Rooney. Este dá um empurrão em Ronaldo e é expulso, mostrando que lhe falta muita maturidade para justificar o exagerado apelido de “Roonaldo”.

Surpreendentemente, a vantagem numérica não aparece em campo. Com um a menos, é a Inglaterra que marca melhor e tem a melhor chance, num chute longo de Lampard que Ricardo dá rebote e Lennon, dentro da área, chuta fraquinho para a defesa do goleiro português.

Já Portugal, incapaz de penetrar na área inglesa, arrisca chutes de fora da área, a maioria com Maniche e todos sem levar perigo algum a Robinson. Se ninguém fez gol, prorrogação, que teve um primeiro tempo sem emoções.

Aos 3 minutos do segundo, Nuno Valente toca na bola, mas Lennon cai e os ingleses mais uma vez pedem pênalti. E ambos os times continuaram sem articular uma jogada decente.

Portugal e Felipão empatam pela primeira vez numa Copa do Mundo. A Inglaterra vai pela terceira vez a uma disputa de pênaltis.

Ricardo, goleiro português, defende as cobranças de Lampard e Gerrard. Quase pegou a de Hargreaves. Dos seus colegas batedores, apenas Simão Sabrosa marcou, na abertura da disputa de penais. Hugo Viana mandou na trave e Petit mandou para fora.

E veio a cobrança de Carragher, que substituiu Aaron Lennon, que por sua vez havia substituído Beckham. Gol. Mas o juiz não tinha apitado.

Após o apito do juiz, Ricardo defendeu a péssima cobrança de Carragher, e se tornava o primeiro goleiro a defender três pênaltis em uma Copa do Mundo.

Ficou nos pés de um menino de 21 anos a responsabilidade de colocar Portugal nas semifinais de uma Copa do Mundo 40 anos depois.

E foi após a cobrança de pênalti de Cristiano Ronaldo, jogador do Manchester United (Noel Gallagher torce para o rival Manchester City), que Portugal virou semifinalista e mandou a Inglaterra (onde nasceu Noel Gallagher) de volta para casa após perder pela terceira vez uma disputa de pênaltis em Copa do Mundo.

E o goleiro reserva da Inglaterra, David James, joga no Manchester City, o time que Noel Gallagher torce.

PS: Oasis, a banda de Noel Gallagher não deixa de ser uma grande bosta. Sobre Brasil x França, vou escrever só amanhã. Desculpem pela espera.

2 Comments:

At Saturday, 01 July, 2006, Anonymous claudio n said...

o time de noel gallagher é o manchester city....não united

 
At Sunday, 02 July, 2006, Anonymous Anonymous said...

eh united, rapah!

 

Post a Comment

<< Home